REUNIÃO SOBRE A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

REUNIÃO SOBRE A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

Realizou-se no Departamento de Assistência e Promoção Social (DAPS) da Prefeitura de Iguape, na segunda-feira (06/05), a 4ª reunião sobre a População em Situação de Rua que cresce em nosso município, como em todo o País.

Participaram da reunião a equipe do DAPS – diretora Virgínia Cardoso, assistente social Giovana Mori e coordenadora do Programa Acessuas (Programa Nacional de Promoção ao Acesso ao Mundo do Trabalho), Rosilene Cangussu Boucinha –, o Comandante da Polícia Militar, Erick Luis Lima; o representante da Polícia Civil, Manoel Das Mattas; o presidente do CONSEG (Conselho de Segurança), Gerson Ribeiro de Castro; o presidente da Aciguape, Rodrigo Malavazi; a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Mirtes Bueno Martins; a coordenadora do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), Eloisa Ramponi; a coordenadora do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), Simone Silva; e a enfermeira do ESF (Estratégia Saúde da Família)-Centro, Caroline Cunha Baptista.

A reunião abordou os desafios colocados para o trabalho com os moradores de rua, a partir dos questionamentos e críticas nas redes sociais dirigidas ao Poder Público, constatando-se que em parte se devem ao desconhecimento da legislação, a exemplo da própria Constituição Federal.

Os dados de atendimentos realizados pelo DAPS e referentes aos últimos quatro meses, período de janeiro a abril de 2019, registram a oferta de 20 (vinte) passagens intermunicipais, sendo 01 (uma) para Santos, 02 (duas) para São Paulo, 04 (quatro) para Sorocaba, 02 (duas) para Peruíbe, 02 (duas) para Curitiba, 01 (uma) para Pariquera-Açu e 08 (oito) para Registro, sendo que do Município de Registro 03 (três) moradores de rua retornaram a Iguape.

Através da Busca Ativa foram elaborados 03 (três) cadastros de pessoas do município de Iguape e 03 (três) de outros municípios, mas que, por enquanto e por opção, querem permanecer em Iguape.

Com os cadastrados neste período, somam 13 (treze) as pessoas que possuem residência em Iguape, ou seja, são de Iguape, mas desejam e insistem em permanecer nas ruas.

Foi apresentado e aprovado um texto a ser distribuído amplamente no comércio e divulgado nas redes sociais, com informações e orientações acerca dos moradores de rua, com a sugestão de que se elabore um outro, dirigido especificamente aos turistas.

Fonte: Prefeitura Municipal de Iguape